Com foco em inovação e tecnologia, primeira Escolab é inaugurada em Coutos

CORREIO

Em agosto, 600 alunos de quatro escolas municipais terão aulas no turno oposto à aula tradicional

Já passava das 11h quando a professora Maria de Fátima dos Santos conseguiu tirar os alunos do 3º ano da Escola Municipal Cid Passos, em Coutos, da sala de Experimentação Científica. “Ainda estou imprimindo meu macaco!”, dizia a pequena Ana Tainá Souza, 8 anos. A turma tinha passado quase toda a manhã na sala que é um dos espaços mais inovadores da primeira unidade da Escolab – Escola Laboratório, inaugurada nesta quinta-feira (30), também em Coutos, no Subúrbio Ferroviário, mas não queria ir embora.

Vai funcionar assim: a partir de agosto, 600 alunos de Ensino Fundamental I e II das escolas municipais Colina do Mar, Alto de Coutos, Oito de Maio e Cid Passos terão aulas na Escolab no turno oposto à aula tradicional (onde também vão ter duas das três refeições oferecidas pelo município no dia). Lá, o conteúdo será lúdico, tecnológico e colaborativo, mas sempre integrado com os assuntos que estiverem sendo trabalhados na série de origem do estudante. Para tanta tecnologia, o projeto é uma parceria com o Google e com a SmartLab. Ou, pelo menos, não até que o macaco se tornasse concreto e palpável, graças a uma das duas impressoras 3D ali instaladas. Na Escolab, que é um centro de educação integral um tanto diferente, equipamentos como as impressoras fazem parte de um universo maior: estão em meio a centenas de tablets e notebooks, fantasias, jogos de tabuleiro, praça de arvorismo e até um Museu da Criança.

Para o prefeito ACM Neto, o projeto é revolucionário. “Não tenho dúvida de que é, inclusive, pioneiro no Brasil. Nós estamos trazendo a educação em tempo integral com as ferramentas mais modernas em termo de tecnologia que existem à disposição para as nossas crianças.

Aqui, elas vão ser estimuladas a usar a criatividade, complementar o seu aprendizado de Português, Matemática, tudo de forma criativa e com a informática. Além disso, também vamos ter atividades esportivas, culturais, dança, música”, listou Neto, durante a inauguração.

Além do Subúrbio, outra Escolab deve ser inaugurada em breve na Boca do Rio, para atender a 1,2 mil crianças de quatro escolas municipais.

Só nessas duas unidades, o investimento foi de R$ 6 milhões, oriundos dos cofres municipais. “As crianças terão aulas todos os dias com um currículo enriquecedor e vão experimentar, aprender, descobrir e criar”, disse a secretária municipal da Educação, Joelice Braga.

Há pelo menos outros cinco Escolabs em fase de implantação. A terceira, também em Coutos, está sendo construída do zero e deve começar a funcionar em 2017, com capacidade para 2,4 mil estudantes. Outros já estão em fase de licitação para ser construídos nos bairros de Cajazeiras, São Marcos, Bairro da Paz e Pirajá.

Mas pelo menos ontem um dos objetivos – que a criança goste de estar na escola – foi atingido. “Gostei muito daqui, porque fica mais fácil para aprender e também para escrever”, contou a mesma Ana Tainá, ao CORREIO, antes de começar a fazer o macaco. A professora dela, Maria de Fátima, também disse que ficou encantada. “Quando vi como estava (a escola), achei perfeito. Vai ser um trabalho excelente para os alunos”.

Do lado de fora, a pequena Laila Nascimento, 6, do 1º ano da Cid Passos, se divertia com uma mesa de elementos táteis. Usando uma venda, tinha que acertar qual era o objeto ou a textura que estivesse tocando. “Acertei esse e esse”, dizia, apontando um rolo de barbante e uma porção de botões. O pai, João Raimundo, acompanhava e estimulava cada momento. “Achei a ideia maravilhosa. Ela pode até ter uma ideia de como é para deficientes visuais. Nunca tinha visto uma escola assim”, completou.

As salas se dividem entre espaços para jogos de raciocínio lógico, jogos de linguagem e até um exclusivo para estudo da cultura global. “É importante ter esse contato com o mundo que é tão globalizado. Assim, vão perceber que estão em contato com o mundo inteiro”, explicou a gerente de currículo da secretaria, Gilmária Cunha.

Cada Escolab também terá um núcleo social (com atendimento de psicólogo e assistente social), um núcleo de arte (que será aberto a artistas da comunidade e vai funcionar em parceria com o projeto Boca de Brasa, inclusive nos finais de semana) e até um núcleo de Altas Habilidades e Superdotação, para receber alunos que precisam de um projeto pedagógico mais específico. Pelo menos 400 estudantes com altas habilidades já foram identificados na rede municipal.

“A criança superdotada vai ser acompanhada e não vai se perder, como muitas vezes acontece. Por ser pobre, muitas vezes, ela (a criança) não tem oportunidade de ser acompanhada e ser reconhecida como uma criança especial para o mundo. O melhor de tudo isso é que vamos lidar com pessoas, principalmente com crianças. Elas vão poder se conectar mesmo as possibilidades”, comemorou o diretor da Escolab, professor Uilton Vieira.

Para completar, há, ainda, um Museu da Criança – que também será aberto para a comunidade e deve funcionar aos finais de semana. Sem dúvida, foi o lugar preferido de Yasmin de Jesus, 7, aluna do 2º anos. “Vi todos os lugares, mas gostei da roda-gigante que girava”.

A roda-gigante é um dos principais destaques do acervo, que inclui dezenas de peças adquiridas da coleção do fotógrafo David Glat, dono de uma das maiores coleções de brinquedos populares do Brasil.

“A partir da coleção, fizemos todo o trabalho de contextualizar com a região de Coutos, do Subúrbio. Você encontra uma linha ferroviária, a Suburbana…”, explicou o cenógrafo João Zito. Só fica mais bonito quando o visitante olha para os desenhos pintados nas paredes – feitos pelos próprios alunos.